• Alternativa Esportes

Virou a casaca! Relembre casos como do lateral-esquerdo Danilo Barcelos, que saiu do Bota para o Flu

Por João Pedro Ramalho


O lateral-esquerdo foi anunciado esta semana pelo Tricolor Carioca | Foto: Reprodução

As transferências dentro da esfera do futebol são comuns e rotineiras. Todavia, quando essas transações ocorrem de um rival para o outro, a polêmica surge e alguns casos ficam marcados no imaginário do torcedor. O mais recente caso no futebol carioca envolveu os rivais Fluminense e Botafogo: o lateral-esquerdo Danilo Barcelos, contratado no início da temporada pelo Alvinegro, deixou o clube após pouco mais de oito meses e agora vestirá a camisa tricolor. Partindo desta situação, vamor relembrar outros jogadores que viraram a casaca no futebol carioca:

Inscreva-se no canal da Alternativa Esportes no YouTube!

Willian Arão foi titular absoluto no Flamengo de 2019 que encantou o Brasil | Foto: Marcos Limonti/AM Press/Lancepress!

Willian Arão (do Botafogo para o Flamengo)


O volante Willian Arão apareceu no futebol do Rio de Janeiro vestindo primordialmente as cores do Botafogo. Contratado em 2015 para reforçar o elenco do Glorioso na Série B do Campeonato Brasileiro, o jogador logo se destacou nos primeiros meses dentro de General Severiano. Titular e peça-chave no esquema do técnico René Simões, o versátil jogador foi notificado pela diretoria alvinegra sobre a renovação automática, prevista na cláusula contratual. Apalavrado com o Flamengo, a ação da gestão do Bota não foi bem aceita pelo volante, que depositou novamente na conta do Alvinegro os R$ 400 mil recebidos pela renovação. O atleta e o clube não chegaram a um consenso, e Arão precisou ir à justiça para se desvincular oficialmente do clube, e assinar, ainda no fim de 2015, um contrato com o Rubro-Negro, onde joga até hoje.


Dourado ficou marcado na dupla Fla-Flu por bater pênaltis de maneira perfeita | Foto: Luciano Belford/Agência O Dia

Henrique Dourado (do Fluminense para o Flamengo)


Negociado em 2016 com o Fluminense, o atacante Henrique Dourado viveu seu auge nas Laranjeiras. Com a camisa Tricolor, foi artilheiro do Campeonato Brasileiro de 2017 e maior goleador do país na mesma temporada, com 32 gols marcados. Destaque absoluto na equipe comandada por Abel Braga, o “Ceifador” recebeu sondagens do Flamengo. O Flu, mesmo sem interesse em negociar o artilheiro com o rival, cedeu e negociou o centroavante com o clube da Gávea por R$ 11 milhões em 2018. Deste valor, R$ 7,5 milhões foram destinados ao Tricolor das Laranjeiras, que detinha parte dos direitos econômicos do jogador e aceitou receber de forma parcelada. Antes de vestir a camisa do rival rubro-negro, Dourado marcou 34 gols em 75 partidas em toda passagem pelo Flu.


Wellington chegou a deixar Léo Moura no banco, mas foi para o Fluminense | Foto: Luciano Belford/FramePhoto/Gazeta Press

Wellington Silva (do Flamengo para o Fluminense)


O lateral-direito Wellington Silva é mais um a vestir o fardo do rival. Após grandes atuações no Campeonato Carioca de 2012 atuando pelo Resende, o atleta chamou a atenção de alguns clubes, e o Flamengo logo o contratou. Citado na lista de desejos de Abel Braga, técnico do Fluminense e campeão brasileiro na temporada anterior pelo Tricolor, o jogador deixou a Gávea após uma curta passagem de seis meses. A oferta de um salário maior deslumbrou o jogador, que fechou contrato com o Flu em 2013 e ficou até 2014 nas Laranjeiras, onde também jogou em 2015 e 2016, após ser emprestado ao Internacional.

Siga a Alternativa Esportes no Twitter!

Apesar de se destacar na fase ofensiva, Vaz era criticado pela torcida rubro-negra | Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

Rafael Vaz (do Vasco para o Flamengo)


O zagueiro artilheiro Rafael Vaz chegou ao Vasco em 2013, após se destacar no Campeonato Cearense defendendo o Ceará. Em três anos de contrato, viveu altos e baixos com a camisa cruzmaltina. O melhor momento dentro de São Januário ocorreu em 2016, onde, em partida válida pela primeira fase do Campeonato Carioca, o defensor saiu do banco de reservas para sacramentar a vitória do Gigante da Colina sobre o Flamengo, marcando um gol nos acréscimos do segundo tempo. Quase três meses depois, brilhou novamente e fez o tento do título carioca na final contra o Botafogo. Ainda no meio de 2016, o zagueiro sofreu assédios do Flamengo, e para convencer o atleta a ficar, a diretoria vascaína lhe propôs um aumento salarial. Contudo, ao fim do contrato, Rafael Vaz deu adeus à São Januário e vestiu a camisa do rival rubro-negro.


Romário jogou por três grandes do Rio e deixou bons números em todos | Foto: Fernando Maia/Fernando Maia/01.02.2004

Romário (do Flamengo para o Vasco; depois, do Vasco para o Fluminense)


Revelado pelo Vasco em 1985,onde ficou até 1988, Romário coleciona idas e vindas entre os clubes rivais do Rio de Janeiro. Transferido para o PSV (HOL) e posteriormente para o Barcelona (ESP), o Baixinho voltou ao futebol brasileiro com o prêmio de melhor jogador do mundo. Todavia, foi jogar justamenteno maior rival do clube que o revelou, o Flamengo. Pelo clube da Gávea, o Peixe conquistou, entre 1995 e 1999, dois Campeonatos Cariocas e uma Copa Mercosul. Em toda a passagem pelo Rubro-Negro, marcou 204 gols em 240 partidas.


Após uma saída polêmica do Fla, Romário voltou ao Gigante da Colina em 1999. No retorno ao Vasco, o atacante viveu o apogeu dele. Campeão do Brasileirão, do Carioca e da Libertadores defendendo o Cruzmaltino, o Baixinho retornou ao plantel de ídolos de São Januário. Em duas passagens, carrega a marca de ser o segundo maior artilheiro do clube com 326 gols marcados.


Em 2002, transferiu-se para o Tricolor das Laranjeiras. Assim como no Flamengo, Romário foi contratado pelo Fluminense, em agosto de 2002, para fazer parte de um projeto grandioso e fortalecer a imagem do clube. Dessa vez, no entanto, não faltaram apenas títulos. As boas atuações também foram raras. Além disso, acumulou polêmicas na breve passagem com 48 tentos em 77 ocasiões.

31 visualizações0 comentário