• Alternativa Esportes

Vasco emite nota oficial contra música homofóbica no jogo contra São Paulo

Por: Almeno Campos

O técnico do Vasco Vanderlei Luxemburgo pede para torcedores do Vasco pararem de cantar música homofóbica durante jogo contra o São Paulo, no último domingo (25/08) (Foto: Reprodução / TV GLOBO / Premiere)

O Vasco divulgou uma nota oficial nesta segunda-feira repudiando e pedindo desculpas pelos cantos homofóbicos ocorridos em São Januário na partida contra o São Paulo, no último domingo (25/08), pelo Brasileirão. O jogo chegou a ser interrompido pelo árbitro Anderson Daronco aos 19 minutos do segundo tempo.


O juiz chegou a informar ao quarto árbitro e ao técnico vascaíno Vanderlei Luxemburgo que, imediatamente, fez gestos com a mãos em direção a torcida para que os cânticos fossem interrompidos. Os auto-falantes do estádio alertaram os torcedores para que não houvesse esse tipo de manifestação. Confira a nota oficial:


"Em relação ao episódio registrado na partida deste domingo (25/08) contra o São Paulo, o Club de Regatas Vasco da Gama lamenta e repudia qualquer canto ou manifestação de caráter homofóbico por parte de alguns de seus torcedores. Da mesma forma, a Diretoria Administrativa do Clube manifesta seu pedido de desculpas a todos que, corretamente, se sentiram ofendidos por este comportamento.


O combate a este tipo de postura – iniciado ainda em campo, quando o técnico Vanderlei Luxemburgo, os jogadores, parte da torcida e o próprio Vasco da Gama, através do sistema de som do estádio, clamaram para que os gritos cessassem – não deve ser motivado pelo receio de punição desportiva (perda de pontos), mas, sim, por uma questão de cidadania e respeito ao próximo e cumprimento da lei.


Preconceito é crime. E se existe um Clube no Brasil historicamente habituado a levantar a voz contra qualquer tipo de discriminação este é o Vasco da Gama, dono da história mais bonita do futebol. Assim foi com a resposta histórica de 1924; assim é com os cantos que o torcedor vascaíno entoa orgulhosamente na arquibancada enaltecendo a luta do Clube a favor de negros e operários.


A plateia de um estádio de futebol e a sociedade de maneira geral passam por um processo de aprendizado e conscientização necessário para que atos de preconceito fiquem no passado – um triste passado, diga-se. A Diretoria Administrativa do Club de Regatas Vasco da Gama compromete-se em promover ações educativas neste sentido junto ao seu torcedor, certa de que encontrará em cada vascaíno um aliado no combate a qualquer tipo de discriminação. O Vasco é a casa de todos."


A recomendação do STJD foi divulgada na última segunda-feira (19/08). O principal objetivo é combater os casos de homofobia no futebol brasileiro. No comunicado, o órgão pediu para que os clubes atuem de maneira preventiva contra o preconceito e determinou que os árbitros fizessem o registro na súmula ao se deparar com as manifestações homofóbicas. Os clubes podem levar multas e, até mesmo, perder pontos no Brasileirão.


STJD não vai indiciar Vasco


Segundo informações do jornalista Wellington Campos, da Rádio Tupi, a Procuradoria do STJD não vai indiciar o Vasco por conta do ocorrido. Segundo o órgão, o clube tomou as devidas providências na partida contra o São Paulo.

© 2018 Alternativa Esportes. Orgulhosamente criado com Bruno Pinheiro. 

  • Facebook - Alternativa Esportes
  • Instagram - Alternativa Esportes
  • Twitter - Alternativa Esportes
  • Youtube - Alternativa Esportes
  • Facebook - Alternativa Esportes
  • Instagram - Alternativa Esportes
  • Twitter - Alternativa Esportes
  • Youtube - Alternativa Esportes