• Alternativa Esportes

Quem foi o maior técnico do Fluminense no século? Relembre três deles e eleja o melhor

Por João Pedro Ramalho


A história do Fluminense é recheada de treinadores que marcaram não só o clube, mas também gerações de torcedores. Em 118 anos de existência, alguns nomes como o do uruguaio Ondino Viera, Telê Santana e Zezé Moreira estão eternizados na memória coletiva da instituição. Neste século, alguns nomes foram importantes para reestruturação do Tricolor das Laranjeiras. Na semana do aniversário tricolor, analisamos a passagem vitoriosa de três destes: Renato Gaúcho , Muricy Ramalho e Abel Braga.


Renato Gaúcho


Dono do icônico gol de barriga na final do Carioca de 1995, Renato Gaúcho é ídolo da torcida tricolor, mesmo em uma passagem rápida com 71 jogos e 21 gols pelo clube. Ao longo das cinco passagens no comando do Fluminense, Renato foi responsável por organizar o elenco campeão da Copa do Brasil, em 2007, de forma inédita, quebrando um jejum de 23 anos sem conquistar um título de relevância nacional do clube.


Em 2008, comandou um elenco poderoso até a final da Libertadores. Assistido por Thiago Silva, Washington, Darío Conca, Thiago Neves e companhia, o Flu eliminou ao longo da competição os campeões Boca Juniors (ARG) e São Paulo, perdendo na final para a LDU (EQU). Com o vice-campeonato, acabou amargando também uma péssima campanha no Campeonato Brasileiro, que vinha sendo deixado de lado pelo treinador na esperança de ser dono da América. Salvando-se por pouco do rebaixamento, Renato acabou sendo demitido no fim da temporada. Ao longo de toda a passagem, acumulou 202 partidas, com aproveitamento de 52%.

Renato Gaúcho ficou marcado por levar o Fluminense pela primeira vez a uma final de Libertadores | Foto: Celso Pupo/Fotoarena/VEJA

Siga a Alternativa Esportes no Twitter!

Muricy Ramalho


Multicampeão por onde passou, Muricy Ramalho chegou ao Fluminense no meio de 2010, após a saída de Cuca do comando. Com uma metodologia diferente, conquistou e deu confiança a um elenco que vinha fragilizado pela campanha no Campeonato Carioca. A temporada consistente do time de Muricy quebrou um jejum de 26 anos, e o clube das Laranjeiras foi campeão brasileiro de 2010.


Um fato marcante na passagem do técnico pelo Fluminense foi a recusa dele à Seleção Brasileira, influenciado pelo compromisso com o Tricolor Carioca naquela temporada. Ele acabaria por pedir demissão por não concordar com certas políticas da diretoria e instabilidade dentro do clube. Na passagem em que conquistou seu quarto Campeonato Brasileiro como treinador, acumulou 54 partidas, com 28 vitórias e 11 derrotas no comando do Flu.

"Aqui é trabalho": campanha do título em 2010 foi de 71 pontos conquistados no Brasileirão, com 20 vitórias, 11 empates e sete derrotas | Foto: Getty Images

Inscreva-se no canal da Alternativa Esportes no YouTube!

Abel Braga


Após a saída de Enderson Moreira, que não resistiu à série de eliminações no Campeonato Carioca e Libertadores, Abel assumiu o comando tricolor no início do Brasileirão de 2011. Com peças remanescentes do título nacional de um ano antes, comandou uma equipe que apresentava um bom futebol e terminaria a competição em terceiro lugar. Em 2012, conquistou o Campeonato Carioca e fazia uma boa campanha na Libertadores, até ser eliminado nas quartas-de-final pelo Boca Juniors, com um gol aos 45 do segundo tempo.


Porém, no Brasileirão daquele ano, comandou o time que ficou líder na 22° rodada, e com o oitavo melhor aproveitamento na era dos pontos corridos, sagrou-se tetracampeão com três rodadas de antecedência, vencendo o Palmeiras com dois gols do artilheiro Fred. O elenco experiente somou apenas cinco derrotas ao longo da competição, duas delas após já ter sido consumado o título. Com três passagens pelo clube carioca, Abel Braga ficou marcado pelo futebol vistoso apresentado pela equipe em 2012, somando ao total 326 partidas, com 157 vitórias, 96 derrotas e um aproveitamento de 56% dirigindo o Fluminense.

Abelão foi comandante no último título nacional do Fluminense, há oito anos atrás | Foto: André Durão/globoesporte.com

© 2018 Alternativa Esportes. Orgulhosamente criado com Bruno Pinheiro. 

  • Facebook - Alternativa Esportes
  • Instagram - Alternativa Esportes
  • Twitter - Alternativa Esportes
  • Youtube - Alternativa Esportes
  • Facebook - Alternativa Esportes
  • Instagram - Alternativa Esportes
  • Twitter - Alternativa Esportes
  • Youtube - Alternativa Esportes