© 2018 Alternativa Esportes. Orgulhosamente criado com Bruno Pinheiro. 

  • Facebook - Alternativa Esportes
  • Instagram - Alternativa Esportes
  • Twitter - Alternativa Esportes
  • Youtube - Alternativa Esportes
  • Alternativa Esportes

Prejuízo ao Tricolor


Foto: Reuteurs

Por: J.V. Laguárdia


Terça-feira, dia 30 de novembro de 2018. Essa data tinha tudo para ser mais um dia histórico na história do Grêmio de Porto Alegre, o Imortal. Com o retrospecto de estar 100% em casa nessa edição da Copa Libertadores (5 jogos e 5 vitórias) e o excelente resultado construído na Argentina (23), no estádio Monumental de Nuñez – um gol do volante Michel, que estava fora por lesão, há 10 meses – a equipe comandada pelo técnico Renato Gaúcho jogava pelo empate.


A torcida tricolor fez o seu papel, lotou o estádio e empurrou o time– foram mais de 53 mil torcedores na Arena. O Grêmio marcou no primeiro tempo, aos 35 minutos Leonardo chutou de fora da área, a bola desviou em Casco e foi parar no fundo das redes do goleiro Armani. O time argentino foi pra cima e pressionou ao longo do final da primeira etapa. No segundo tempo, Éverton Cebolinha entrou na partida e desperdiçou a chance de garantir o Imortal na fase final da competição. Com isso, o River foi pra cima e aos 36 empatou e aos 49, após pênalti, virou e eliminou o time gaúcho.


Pois bem, mesmo com desfalque de peso, sem Luan, a eliminação do Grêmio foi INJUSTA. Me refiro a dois momentos da competição. O primeiro, foi o fato do técnico Gallardo, que estava suspenso da partida de volta, ter se comunicado com o auxiliar técnico durante a partida, por meio de rádio. Ademais, o técnico desceu para o vestiário dos seus comandados no intervalo de jogo, descumprindo assim o regulamento da competição. Outro fator importante foi no primeiro gol do River. Após marcar a falta e a bola ser lançada na área tricolor, Lucas Prato fez falta em Michel e o árbitro não marcou – No momento em que Michel pula para atacar a bola, Lucas Prato está com o braço no peito do jogador gremista. Com isso, ele perde o equilíbrio e cai, não conseguindo ir de encontro a bola.


Além disso, outro momento que o brasileiro não esqueceu foi a eliminação do Santos, por ter escalado o jogador Carlos Sanches de forma irregular. O que gera o inconformismo dos times brasileiros, nessa edição da Libertadores, é o fato de que o River Plate também ter cometido o mesmo erro e escalar o zagueiro Zuculini em todas as partidas da fase de grupos, e não sofrer punição pela Conmebol.


No dia seguinte à eliminação, a diretoria gremista viajou para o Paraguai, local onde fica a sede da Conmebol, a fim de pedir a reversão dos pontos da partida e entregar a denúncia contra os milionários.


É a Copa Libertadores 2018 sendo manchada por erros da maior instituição Sul-Americana e por juízes de péssima qualidade.

  • Facebook - Alternativa Esportes
  • Instagram - Alternativa Esportes
  • Twitter - Alternativa Esportes
  • Youtube - Alternativa Esportes