• Alternativa Esportes

Confira como seria uma Seleção Carioca dos Anos 90

Este é um artigo opinativo. O texto abaixo é de total responsabilidade do autor, não refletindo, necessariamente, a opinião da Alternativa Esportes Web Rádio.


Por Alexander Rodrigues, do site Futebol com Amor


Resolvemos relembrar os tão decantados Anos 90 do futebol brasileiro, em especial o carioca, com uma seleção dessa década que teve tantos esquadrões que entraram para a história. O critério é simples: não é necessário que o jogador tenha nascido no Rio de Janeiro, mas sim o desempenho dele por algum clube da Cidade Maravilhosa entre os anos de 1990 e 1999.


Treinador: Antônio Lopes (Vasco)

O técnico se destacou no comando do Cruzmaltino nos Anos 90 | Foto: Agência VIPCOMM

Goleiro: Carlos Germano (Vasco)


Carlos Germano Schwambach Neto atuou no Gigante da Colina durante nove anos, de 1990 a 1999, sendo um dos melhores goleiros da década, e inclusive foi convocado para a Copa da França, em 1998. O arqueiro foi peça-chave do esquadrão vascaíno do final dos Anos 90 que arrematou o Brasileiro de 1997 e a Libertadores de 1998.


Além disso, conquistou quatro Campeonatos Cariocas e um torneio Rio-São Paulo no período em que defendeu o Vasco. Individualmente, o atleta levou a Bola de Prata da Revista Placar, em 1997, e o prêmio Charles Miller do grupo Globo, em 1994.

Atualmente, Germano é preparador de goleiros do elenco profissional do Gigante da Colina, onde é ídolo | Foto: Carlos Gregório Jr./Vasco

Lateral-Direito: Wilson Goiano (Botafogo)


Wilson Pereira Carvalho, mais conhecido como Wilson Goiano, foi o lateral-direito titular no time histórico do Botafogo que foi campeão brasileiro de 1995. O atleta ainda arrematou mais oito títulos com o Glorioso, dentre eles, o Campeonato Carioca de 1997 e o Torneio Rio-São Paulo de 1998.

Goiano conquistou duas importantes taças pelo Botafogo | Foto: Reprodução

Lateral-Esquerdo: Felipe (Vasco)


Apesar de ter se tornado meia ao longo da carreira, Felipe foi um dos melhores laterais-esquerdos do Brasil na época atuando pelo Vasco da Gama, o que resultou em ótimas performances, convocações para a Seleção Brasileira e títulos.


O jogador entregou o serviço completo: foi campeão carioca, brasileiro e fez parte da maior glória do Cruzmaltino, na conquista da Copa Libertadores de 1998. Em matéria de prêmios individuais, o canhoto fez parte da seleção do Campeonato Brasileiro de 1997 e 1998, além da seleção da América do Sul, também de 98.

Felipe iniciou carreira como lateral, mas foi deslocado para o meio de campo | Foto: globoesporte.com

Zagueiro: Wilson Gottardo (Flamengo e Botafogo)


É impossível fazer um lista dos Anos 90 sem integrar Wilson Gottardo. O zagueiro conseguiu faturar dois campeonatos brasileiros por diferentes rivais: com o Flamengo, em 1992, e com o Botafogo, em 1995. Além disso, o defensor faturou o Campeonato Carioca vestindo as pesadas camisas do futebol da Cidade Maravilhosa.

Gottardo (à direita) conversa com Sérgio Manoel | Foto: Arquivo Lance!

Zagueiro: Mauro Galvão (Vasco)


Um dos melhores zagueiros daquela geração, Mauro Galvão conquistou títulos por dois clubes cariocas diferentes nos Anos 90. O defensor de rara classe foi campeão carioca com o Botafogo em 1990, mas foi com a camisa do Vasco que obteve glórias maiores: o Brasileirão de 1997 e a conquista continental da Libertadores, em 1998. Mauro também pode se orgulhar de ter uma Bola de Prata da Revista Placar, conquistada em 1997.

A classe de Galvão dentro de campo é reconhecida até hoje | Foto: Reprodução

Inscreva-se no canal da Alternativa Esportes no YouTube!

Meia: Júnior (Flamengo)


Apesar de ter tido a melhor fase de sua carreira nos Anos 80, Leovegildo Lins da Gama Júnior ainda tinha um pouco de classe para desfilar nos gramados na década seguinte. Na reta final da trajetória dele como jogador, e atuando na armação do time, o craque faturou a Copa do Brasil de 1990, o Carioca de 1991 e o Campeonato Brasileiro de 1992 com a camisa do Flamengo. Apelidado à época de “Vovô Garoto”, recebeu a Bola de Ouro da Revista Placar em 1992, aos 38 anos.

Júnior foi fundamental na conquista do Brasileirão de 1992 | Foto: Claudio Rosssi/Agência O Globo

Meia: Sérgio Manoel (Botafogo)


Conhecido como “Motorzinho”, Sergio Manoel era quem dava o ritmo no meio-campo alvinegro no título histórico do Campeonato Brasileiro de 1995, além do Torneio Rio-São Paulo de 1998. O meia ainda atuou pelo Fluminense, mas foi com a camisa do Glorioso que o atleta se destacou na carreira, sendo considerado um dos melhores a ter vestido a camisa do clube.

Sérgio Manoel em disputa de bola com o lateral Belleti, do São Paulo | Foto: Sérgio Borges/Agência O Globo

Meia: Juninho Pernambucano (Vasco)


Antônio Augusto Ribeiro Reis Júnior, conhecido no mundo do futebol como Juninho Pernambucano, foi sem dúvida um dos melhores meias e batedores de falta daquela geração. O Reizinho foi maestro dos títulos mais importantes do Vasco na década: o gol de falta que fez contra o River Plate (ARG), na campanha do título da Libertadores de 1998, virou até grito de guerra da torcida cruzmaltina. O pernambucano também arrematou o título brasileiro de 1997, quando entrou para a seleção do campeonato, e no ano seguinte, levantou um Carioca.

Juninho (à esquerda) ao lado do zagueiro Odvan: o Reizinho sempre caprichava nas cobranças de falta | Foto: Placar

Atacante: Romário (Flamengo)


Um dos melhores jogadores de todos os tempos, Romário de Souza Faria pode até ter tido glórias por outros clubes, mas nos Anos 90 foi com a camisa rubro-negra que o atacante levantou mais troféus em terras brasileiras. O Baixinho foi campeão carioca pelo Flamengo em 1996 e 1999, além de conquistar outras duas taças internacionais: a Copa Ouro de 1996 e a Copa Mercosul de 1999.

O Baixinho é considerado um dos maiores atacantes da história do futebol | Foto: Getty Images

Atacante: Renato Gaúcho (Fluminense e Flamengo)


O “Rei do Rio” não poderia faltar nessa lista. Renato Portaluppi conseguiu ser campeão pela dupla Fla-Flu na década de 90, com atuações históricas como a do tão decantado gol de barriga que deu o título carioca ao Fluminense em 1995.


Antes disso, o atleta levantou uma glória nacional com o Flamengo: a Copa do Brasil de 1990. Individualmente, o período também foi de conquistas para o craque, que levou nada menos do que três Bolas de Prata da Revista Placar para casa, em 1990, 1992 e 1995.

Renato após gol de barriga icônico sobre o Flamengo, pelo Carioca de 1995 | Foto: Divulgação/Fluminense

Atacante: Edmundo (Vasco)


Não é exagero dizer que se a Fifa não olhasse apenas para o futebol europeu, Edmundo poderia facilmente ter ficado entre os três melhores do mundo em 1997. A maior estrela da nau vascaína que conquistou o Brasil naquele ano ganhou a Bola de Ouro da Revista Placar, sendo o artilheiro do campeonato, com 29 gols marcados. O “Animal” ainda levantou duas Taças Rio, duas Taças Guanabara e um Campeonato Carioca com o Gigante da Colina.

Edmundo comemora com irreverência, característica marcante do atacante | Foto: Divulgação
A formação da Seleção Carioca ficaria desta forma, num 4-3-3 | Arte: Alexander Rodrigues/Site Futebol com Amor

E se escalássemos um time reserva? Ele ficaria da seguinte forma, num 4-3-3: Wágner (Botafogo), Charles Guerreiro (Flamengo), Gonçalves (Botafogo), Odvan (Vasco), Athirson (Flamengo); Ramon (Vasco), Pedrinho (Vasco), Sávio (Flamengo); Túlio Maravilha (Botafogo), Donizete (Botafogo e Vasco) e Luizão (Vasco).

45 visualizações

© 2018 Alternativa Esportes. Orgulhosamente criado com Bruno Pinheiro. 

  • Facebook - Alternativa Esportes
  • Instagram - Alternativa Esportes
  • Twitter - Alternativa Esportes
  • Youtube - Alternativa Esportes
  • Facebook - Alternativa Esportes
  • Instagram - Alternativa Esportes
  • Twitter - Alternativa Esportes
  • Youtube - Alternativa Esportes