• Alternativa Esportes

A verdade que ninguém conta sobre o futebol paulista

Por: Rômulo Diego Moreira

O Corinthians de Andrés Sanchez tem grande dívida(Foto: Ana Canhedo)

Pela primeira vez, todos os times de São Paulo jogarão a Libertadores. O estado mais rico do país tem maior circulação de dinheiro e, portanto, é um ponto de negócios economicamente mais bem estruturado. Então, poderíamos supor que vivemos numa época de domínio absoluto do futebol paulista, certo? Mais ou menos. Na verdade, os resultados em campo mascaram uma realidade preocupante.


O Corinthians projeta terminar o ano com resultado negativo em R$ 144,8 milhões. O resultado representa o pior déficit da década. Nos últimos anos, entre 2014 e 2019, o Timão só deu lucro em 2016 com o superávit de R$ 31 milhões. Em 2014 e 2015, o déficit foi o mesmo e chegou ao patamar de R$ 97 milhões. O saldo também foi negativo em 2017 e 2018 com R$ 35,1 milhões, R$ 18,76 milhões, respectivamente. A dívida alvinegra vem crescendo ao longo dos últimos anos. No último balancete divulgado pelo clube, ela era de R$ 626,2 milhões em junho.


Desconformemente do ímpeto das últimas temporadas, no qual o Palmeiras contratava com impacto, o Alviverde começa o novo ano sem nenhuma novidade. Apesar do clube mais rico do estado ter aumentado seu faturamento em 238% nos últimos dez anos, o Verdão fecha o ano com déficit de R$ 35 milhões. Por isso, adotou uma postura diferente e aderiu a cautela. Em 2020, a previsão orçamentária pretende reduzir em 14% as despesas do futebol profissional, por meio da utilização dos jogadores vindos da base, e diminuir em 13% os outros custos.


Segundo o relatório do Conselho Fiscal do Santos, o Peixe apresentou um prejuízo de R$49 milhões em 2019. Assim, não foi aprovada a tentativa de proposta do Comitê de Gestão que previa o valor de R$ 311 milhões para administrar o futebol. No entanto, o que foi aprovado dá somente R$ 249 milhões em receitas, ou seja, uma redução de R$ 62 milhões em relação ao solicitado.


O maior prejuízo, por sua vez, foi do Tricolor: o São Paulo teve um rombo de R$ 180 milhões. Os números podem ser traduzidos pela queda de receitas do clube, em comparação com as expectativas traçadas no orçamento. Principalmente causada pelas eliminações precoces na Libertadores e na Copa do Brasil. A cor vermelha é o sinal de stop. Parar para rever os números que estão totalmente desequilibrados. Nada fica impune, e em 2019, o futebol brasileiro viu como o Cruzeiro se desconstruiu e, consequentemente, foi à segunda divisão.


Torcedor, esse artigo tem duas partes. No próximo texto, vou mostrar como o futebol carioca pode aproveitar da irresponsabilidade fiscal dos times paulistas e se tornar mais competitivo numa perspectiva de médio prazo.

105 visualizações

© 2018 Alternativa Esportes. Orgulhosamente criado com Bruno Pinheiro. 

  • Facebook - Alternativa Esportes
  • Instagram - Alternativa Esportes
  • Twitter - Alternativa Esportes
  • Youtube - Alternativa Esportes
  • Facebook - Alternativa Esportes
  • Instagram - Alternativa Esportes
  • Twitter - Alternativa Esportes
  • Youtube - Alternativa Esportes