• Alternativa Esportes

1971 - Nasce o Campeonato Brasileiro de Futebol

Por: Luiz Claudio Gonçalves


Internacional, campeão invicto de 1979. O maior feito de um clube na década de 70 no Brasileirão (Foto: Ricardo Orlandini)

Campeonato Nacional de Clubes


Passada a euforia pela conquista do tricampeonato mundial da Seleção Brasileira em 1970, no México, a CBD, Confederação Brasileira de Desportos, antigo nome da atual CBF, Confederação Brasileira de Futebol, no ano de 1971, resolveu criar um novo modelo de campeonato nacional de futebol, com abrangência maior, incluindo todas as regiões do país. Surgia o Campeonato Nacional de Clubes. A partir de 1974, a CBD passou a considerar oficialmente, ou seja, em seus boletins oficiais, o Campeonato Nacional de Clubes disputado em 1971, como o primeiro Campeonato Brasileiro de Futebol. Esta norma vigorou até 2010, quando a CBF resolveu unificar os títulos das competições nacionais conquistados nos períodos anterior e posterior a 1971.


Clube Atlético Mineiro, o primeiro campeão brasileiro


Com uma fórmula de disputa similar a da última edição do Troféu Roberto Gomes Pedrosa, a Taça de Prata, ou simplesmente o popular Robertão, vencida pelo Fluminense, o Campeonato Nacional de Clubes ou Campeonato Brasileiro, teve 20 participantes, três a mais que a Taça de Prata de 1970. Os 20 clubes foram: America do Rio, América Mineiro, Atlético Mineiro, Bahia, Botafogo do Rio, Ceará, Corinthians, Cruzeiro, Flamengo, Fluminense, Grêmio, Internacional, Palmeiras, Portuguesa, Santa Cruz, Santos, São Paulo, Sport Recife e Vasco da Gama. O campeão foi o Atlético Mineiro. Na primeira fase, as equipes foram divididas em dois grupos de dez. As seis equipes melhores classificadas de cada grupo passaram à segunda fase. Na segunda fase, os 12 classificados da primeira fase foram divididos em três grupos com quatro equipes cada um. Os três campeões dos grupos da segunda fase formaram o triangular decisivo. No grupo A, o São Paulo foi o vencedor. O grupo B foi vencido pelo Atlético Mineiro. E finalmente o grupo C teve como vencedor o Botafogo. No triangular final, o Atlético Mineiro saiu vitorioso. O primeiro jogo do turno decisivo foi disputado no Mineirão. O Atlético Mineiro recebeu o São Paulo e venceu por 1 a 0. O segundo jogo foi disputado no Morumbi. O São Paulo se recuperou da derrota na rodada inicial e goleou o Botafogo por 4 a 1. E finalmente no Maracanã, no último jogo do campeonato, no dia 19 de dezembro de 1971, o Atlético Mineiro venceu o Botafogo por 1 a 0. O gol do título foi assinalado pelo folclórico centroavante Dario, o Dadá Maravilha. O Atlético Mineiro campeão entrou em campo para a decisiva partida com Renato; Humberto Monteiro, Grapete, Vantuir e Oldair; Vanderlei e Humberto Ramos; Ronaldo, Lola, Dario e Tião. Técnico: Telê Santana.


Curiosidades do primeiro Brasileirão


Alguns fatos foram marcantes na disputa do primeiro Campeonato Brasileiro:

- Embora tenha perdido a decisiva partida para o Atlético Mineiro, o Botafogo não foi o vice-campeão brasileiro. A classificação final teve o Atlético Mineiro campeão, com 4 pontos. Em segundo lugar ficou o São Paulo, com 2 pontos ganhos. E na lanterna ficou o Botafogo que não pontuou.


- O primeiro estrangeiro a fazer história no Campeonato Brasileiro foi o argentino Néstor Leonel Scotta. Foi dele o primeiro gol da história do Brasileiro. O atacante Scotta atuava pelo Grêmio em 1971, e na primeira rodada da competição, na surpreendente vitória do Grêmio por 3 a 0, sobre o vice-campeão São Paulo, em pleno Estádio Cícero Pompeu de Toledo, o Morumbi, ele fez o primeiro gol do jogo.


- Dario, o Dadá Maravilha, foi o artilheiro máximo do Campeonato Brasileiro de 1971. Foi dele o gol do título da competição sobre o Botafogo. Durante a competição, Dadá anotou 15 tentos.


- As três partidas decisivas foram dirigidas pelo mesmo árbitro. Coube ao árbitro Armando Marques, a responsabilidade de apitar todo o triangular decisivo.


- A curiosidade mais negativa envolvendo o Brasileirão de 1971 foi o fato de não ter havido rebaixamento. Em face deste episódio, o Brasileirão de 1972 foi disputado por 26 equipes. O que de certo modo explica a bagunça que se seguiu em anos posteriores.


Década de 70


Os outros campeões brasileiros na década de 70 foram o Palmeiras em 72 e 73; o Vasco em 74, primeiro carioca campeão brasileiro; o Internacional em 75, 76 e especialmente em 79, de forma invicta; o São Paulo em 77; o Guarani, único time do interior a se sagrar campeão brasileiro; e o Flamengo, que encerrou a década conquistando o Brasileirão de 1980.


Os maiores destaques da década de 70 foram o Palmeiras e o Internacional. A Academia de Futebol, assim era conhecido o Palmeiras, fez história ao se sagrar o primeiro bicampeão brasileiro, quando conquistou as taças de 72 e 73. Em 72, o título veio após um empate sem gols com o Botafogo no Morumbi. A equipe paulista foi para a final com a vantagem do empate. Já em 73, o título veio após a equipe vencer o quadrangular final que tinha, além do campeão, o São Paulo, o Cruzeiro e o Internacional. No jogo decisivo, o Palmeiras empatou em 0 a 0 com o São Paulo. Curiosamente, nas duas decisões em que foi campeão, o Palmeiras não fez gols. Após dois empates nas decisões por 0 a 0, veio o bicampeonato. No elenco Alviverde figuravam nomes que estão gravados na história do Palmeiras. Faziam parte do time do Palmeiras o goleiro Leão, o zagueiro Luis Pereira, e os atacantes Ademir da Guia e Leivinha.


Já o grande Internacional de Porto Alegre, venceu três Campeonatos Brasileiros na década de 70. Foi bicampeão em 75 e 76 e venceu de forma invicta o Brasileirão de 79. Aliás, o Internacional é o único campeão brasileiro invicto. Elias Figueroa, Manga, Valdomiro, Falcão, Dario, Marinho Peres, Batista, Mauro Galvão, Mário Sérgio e Paulo César Carpegiani eram os principais nomes do Inter. Em 1975, o Internacional sagrou-se campeão após vencer o Cruzeiro por 1 a 0, no Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre. O gol do título foi assinalado pelo ídolo Elias Figueroa. Até hoje os colorados chamam o gol do título de “O Gol Iluminado”. Em 76 o Colorado venceu a grande final contra o Corinthians. No Estádio Gigante da Beira-Rio, a equipe venceu os paulistas por 2 a 0. Os gols do time gaúcho foram marcados por Dadá Maravilha e Valdomiro.


Um dos fatos mais marcantes do Brasileiro de 76 aconteceu na semifinal entre Fluminense e Corinthians. No dia 5 de dezembro no Maracanã, para um público de aproximadamente 150 mil torcedores pagantes, as equipes empataram em 1 a 1. O empate levou o time paulista à decisão. Naquela tarde aconteceu o episódio conhecido como “Invasão Corintiana”. Aproximadamente 70 mil torcedores do Corinthians dividiram as arquibancadas do Maracanã com a torcida do Fluminense. Um fato inesquecível.


O Campeonato Brasileiro de 1971, embora gigante desde o início, já nasceu claudicante. Surgiu no cenário nacional como um projeto elaborado para unificar a nação. Foi apoiado pelo governo militar, que estava no poder desde 1964. Ele penou no quesito organização. O primeiro torneio não teve rebaixamento. No ano seguinte, em 1972, em razão de só ter havido acesso, a competição foi disputada por 26 equipes. Até chegar ao cúmulo de incríveis 94 clubes participantes em 1979.


Mas há também destaques positivos. Além dos já citados campeões, entraram para a história os também campeões Vasco da Gama de 74, como o primeiro carioca campeão brasileiro. Neste ano o Vasco foi protagonista de um feito nunca mais alcançado por nenhuma outra equipe. O artilheiro do nacional foi o atacante Roberto Dinamite com 16 gols e o vice-artilheiro foi o meia Arturzinho com 14 tentos, ambos do Vasco. Foi a única vez que um time fez artilheiro e vice-artilheiro de uma mesma edição de Campeonato Brasileiro; o Guarani de 78, que configurou-se como o único time do interior campeão do mais importante campeonato nacional; e o Flamengo de 80 que apresentou ao mundo a geração mais vitoriosa de sua história, capitaneada pelo seu ídolo-mor Zico.


No próximo capítulo, a década de 80... Até a próxima!

76 visualizações

© 2018 Alternativa Esportes. Orgulhosamente criado com Bruno Pinheiro. 

  • Facebook - Alternativa Esportes
  • Instagram - Alternativa Esportes
  • Twitter - Alternativa Esportes
  • Youtube - Alternativa Esportes
  • Facebook - Alternativa Esportes
  • Instagram - Alternativa Esportes
  • Twitter - Alternativa Esportes
  • Youtube - Alternativa Esportes